RISCOS QUE OS SOLDADORES ESTÃO EXPOSTOS

No âmbito da fabricação e construção, a soldagem é reconhecida como um processo crucial para a união de materiais. Todavia, essa técnica essencial não está livre de riscos, especialmente para os soldadores, que enfrentam uma exposição contínua a perigos capazes de afetar sua saúde tanto no curto quanto no longo prazo. Este artigo visa aprofundar a compreensão desses riscos, fundamentando-se em evidências científicas e pesquisas atuais, ao mesmo tempo em que apresenta a Tecnologia Clinch como uma opção segura e revolucionária.

Riscos da Soldagem

Substâncias Perigosas e Seus Efeitos no Corpo Humano

“A soldagem libera substâncias potencialmente perigosas no ambiente de trabalho e sistemas adequados não são utilizados para impedir ou evitar seu transporte e deposição no sistema respiratório” (Riccelli et al., 2020). Essas substâncias, segundo Haluza et al. (2014), podem causar desde desconforto até doenças graves e irreversíveis, atingindo órgãos vitais como fígado, rim e cérebro, podendo resultar em fibrose intersticial e pneumoconiose.

Leia o artigo completo

Efeitos da Radiação

Além dos riscos químicos, os soldadores estão expostos a radiações nocivas. “A exposição do operador a estas radiação pode causar doenças. A curto prazo pode causar fotoqueratite, eritema cutâneo, e a longo prazo pode causar catarata, câncer de pele e foto envelhecimento” (Site da Soldagem, 2012).

Leia o estudo completo

Efeitos Prejudiciais à Saúde dos Soldadores

A soldagem está vinculada a uma variedade de riscos à saúde, oriundos da exposição a fumos metálicos, gases tóxicos, radiação intensa e calor gerado durante o processo. Esses riscos incluem:

  • Doenças Respiratórias: Como asma ocupacional, bronquite, pneumonite por hipersensibilidade, fibrose pulmonar e pneumoconiose dos soldadores, decorrentes da inalação de fumos metálicos.
  • Problemas Dermatológicos: Incluindo dermatite de contato e queimaduras UV, semelhantes às solares, causadas pela exposição à radiação ultravioleta, além de queimaduras térmicas resultantes de fagulhas e metais quentes.
  • Complicações Oculares: Como fotoqueratite, devido à radiação UV, e catarata, associada à radiação infravermelha, além de inflamação conjuntival e dano retiniano.
  • Danos ao Sistema Nervoso: Manifestados por neuropatias periféricas e encefalopatia dos soldadores, esta última relacionada à exposição ao manganês presente nos fumos de solda, podendo causar tremores, perda de coordenação e equilíbrio.
  • Efeitos Auditivos: A perda de audição induzida por ruído é comum devido ao ambiente ruidoso das operações de soldagem.
  • Problemas Cardiovasculares: Como hipertensão e doenças cardiovasculares exacerbadas pela exposição crônica a metais e gases específicos.
  • Distúrbios Gastrointestinais: Gastrite e úlceras podem ser agravadas pelo estresse e ingestão acidental de fumos metálicos.
  • Riscos Cancerígenos: Elevação do risco de desenvolvimento de câncer de pulmão, laringe, bexiga e pele, ligados à exposição a radiação UV e fumos.
  • Toxicidade Reprodutiva: Exposição a certos metais e gases pode apresentar riscos à reprodução e ao desenvolvimento fetal.
  • Efeitos Psicológicos: Estresse e fadiga resultantes das condições de trabalho e da preocupação com a exposição a riscos à saúde.

Ameaça da Radiação na Soldagem

A radiação, especialmente a ultravioleta (UV) e a infravermelha (IR), figura entre as principais preocupações associadas à soldagem. A radiação UV, em particular, devido à sua alta energia e capacidade de penetração, pode causar fotoqueratite, eritema cutâneo e, com a exposição prolongada, aumenta significativamente o risco de vários tipos de câncer de pele. Por outro lado, a radiação infravermelha, prevalente durante o processo de soldagem, é uma fonte potencial de queimaduras na pele e pode contribuir para o desenvolvimento de catarata.

Avançando para Métodos Mais Seguros: A Tecnologia Clinch

Em resposta aos riscos associados à soldagem convencional, surge a Tecnologia Clinch, uma metodologia inovadora que proporciona uma alternativa eficaz e segura para a união de materiais. Essa técnica, que não envolve a aplicação de calor, elimina muitos dos perigos inerentes à soldagem tradicional, garantindo uma união robusta e duradoura dos materiais.

Benefícios da Tecnologia Clinch

A adoção da Tecnologia Clinch não só favorece a segurança do trabalhador mas também se destaca em termos de eficiência e sustentabilidade. Eliminando a necessidade de consumíveis como gases e metais de adição, o clinch se apresenta como uma solução econômica e ambientalmente amigável.

Rumo a um Ambiente de Trabalho Mais Seguro

Apesar de a solda e a solda ponto serem indispensáveis na indústria moderna, é imperativo que os riscos à saúde associados a esses processos sejam diligentemente gerenciados. Por meio da educação, da adoção de tecnologias mais seguras como a solda a frio, e da implementação de práticas de trabalho seguras, podemos assegurar um ambiente de trabalho mais protegido. A conscientização acerca desses riscos e a implementação de medidas preventivas constituem etapas essenciais para minimizar os efeitos adversos da soldagem no organismo humano.

Através da conscientização e adoção de tecnologias alternativas como a clinch da GPTech, abrimos caminho para uma nova era na fabricação e construção, alinhando processos industriais com a imperativa necessidade de segurança, eficiência e sustentabilidade.

 

Post a Comment